Parque Estadual Guajará-Mirim deve ser aberto para visitação em 2018; trilhas verdes e cachoeiras são atrativos

07/11/2017   22:08

Trechos encachoeirados são atrativos do Parque Estadual Guajará-Mirim, uma das 40 unidades de conservação de Rondônia

 

Trilhas verdes que passam por cachoeiras, monumentos históricos como a primeira casa construída na unidade de conservação, área de campi, contemplação de espécies florestais com explicação do guia sobre a característica de cada uma. Esses são alguns dos atrativos do Parque Estadual Guajará-Mirim, o primeiro a ser aberto para visitação pública em Rondônia.

 

Segundo o coordenador de Unidades de Conservação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), engenheiro florestal Denison Trindade Silva, a previsão é que a visitação aconteça a partir do primeiro semestre de 2018. Também é previsto para o próximo ano que o parque ganhe um atrativo a mais, uma trilha para mountain bike.

 

‘‘Esperamos alcançar o público das escolas, comunidades do entorno e turistas, além de incentivar pesquisas científicas, e para isso entramos em contato com a Unir [Universidade Federal de Rondônia] e faculdades particulares’’, explica o coordenador.

 

Além desse, Rondônia ainda tem mais dois parques estaduais: o Corumbiara e Serra dos Reis, mas o coordenador explica que a visitação pública será aberta pelo parque Guajará-Mirim por ser o que mais sofre pressão.  ‘‘É um parque que sofre pressões de invasores e de roubo de madeiras, mas a partir do momento que a gente consolidar o uso dele com certeza esses impactos irão diminuir’’, afirma o coordenador.

 

A visitação que iniciará por conta do governo, deve ser terceirizada. ‘‘Está previsto termos de referência para 2018. O que vai definir quais serviços iremos terceirizar dentro dos parques estaduais com todos os critérios que o Estado irá exigir’’, esclarece. O mesmo deve acontecer com os outros dois parques. ‘‘A abertura da visitação a eles vai demandar um esforço maior do governo para poder estruturá-los’’, aponta o engenheiro florestal esclarecendo que eles não passam pelas mesmas pressões que o de Guajará-Mirim.

 

 

Investimento

 

O investimento para adaptar o parque Guajará-Mirim para visitação pública foi de cerca de R$ 1 milhão, sendo cerca de R$ 600 mil de contrapartida do Estado e o restante recurso do Governo Federal através do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa). ‘‘Estamos em processo de reforma da sede do parque. Outros investimentos foram quanto à abertura de trilhas e construção de pontes’’, conta. O parque também passa por reaviventação dos limites.

 

Conforme o Decreto n° 21.624, publicado no dia 13 de fevereiro no Diário Oficial do Estado, os parques estaduais estarão abertos à visitação pública diariamente das 8h às 17h. ‘‘É um avanço e isso vem para proporcionar o que a gente busca que é consolidação dessas unidades. A Coordenadoria da Unidade de Conservação da Sedam está trabalhando para que a gente possa realmente implementar as ações específicas de cada unidade de conservação’’, disse.

 

‘‘Esse trabalho não seria possível se não tivéssemos o total apoio do Estado que vem trabalhando para que a gente realmente consolide essas unidades de conservação que são 40 no Estado e há um esforço muito grande do governo do Estado para isso aconteça’’. A inciativa inédita no Estado vai fortalecer a preservação ambiental, diminuir a pressão sobre as áreas verdes e fomentar a geração de emprego e renda de forma sustentável.

 

Leia mais.

 Decreto governamental regulamenta visitas aos parques estaduais de Rondônia

 Unidades de conservação de Rondônia passam por processo de demarcação e sinalização

 

 

 

 

 

Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Sedam
Secom - Governo de Rondônia

 

 

 

 


 
Publicidade