Bom Dia, hoje 24/09/2018 - 7:51:47
 

Rondônia vai conhecer riscos de desastres naturais pelo celular, informa a Defesa Civil Estadual

08/03/2018   15:12

 

Cheia do rio Madeira cobre bananeiras

 

A população usuária da telefonia celular em Rondônia está sendo convidada a participar da campanha inicial de cadastramento de usuários de alertas de risco de desastres naturais.

 

Basta a pessoa pedir inclusão de seu telefone celular numa enorme rede de  WhatsApp coordenada pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cenad).

 

O apelo foi feito pelo diretor de Planejamento e Operações da Defesa Civil Estadual, capitão Artur Luiz Santos de Souza. Segundo ele, as pessoas podem enviar SMS para o número 40199, contendo o CEP de interesse. O monitoramento é feito diuturnamente, 24 horas.

 

Usuários andam desconfiados de tantas mensagens falsas ou de golpes praticados pelo celular, mas devem tranquilizar-se com a atuação do Cenad. “É um serviço de grande utilidade, porque a base de dados emite o alerta conforme o risco constatado em determinada região”, diz o capitão Artur Luiz.

 

O Plano Nacional de Gestão de Riscos e Respostas do Cenad monitora municípios em todas as regiões brasileiras. A maioria tem histórico de desastres naturais decorrentes de movimentos de massa [deslizamentos de encosta, corridas de massa, solapamentos de margens/terras caídas, queda/rolamento de blocos rochosos e processos erosivos].

 

Também são observadas situações hidrológicas, nas quais se incluem inundações, enxurradas e grandes alagamentos.

 

Os alertas são emitidos para a Defesa Civil. O Cenad, coordenado pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, encaminha o alerta para 274 municípios brasileiros atualmente monitorados.

 

O Centro foi criado em fevereiro de 2005, pelo Decreto nº 5.376, com o intuito de gerenciar, com agilidade, ações estratégicas de preparação e resposta a desastres em território nacional e, eventualmente, também no âmbito internacional.

 

Segundo o capitão Arthur Luiz, municípios monitorados devem ter as áreas de riscos para processos hidrológicos e geológicos identificados, mapeados e georreferenciados.

 

Geralmente, em situações de desastres, o primeiro atendimento é feito pela prefeitura municipal, entretanto, por falta de planejamento e/ou entendimento sobre o significado e as implicações de cada alerta, as ações de resposta podem não ser plenamente eficientes. Daí, conforme o capitão, a importância dos alertas.

 

Segundo o Ministério da Integração Nacional, a partir das informações recebidas e trabalhadas no Cenad, assim como relatórios dos grupos de campo, é possível dimensionar adequadamente o apoio federal nas ações de resposta nos cenários de desastres.

 

As ações também têm cunho preventivo, mitigatório e preparatório, uma vez que considera o conhecimento que se tem das áreas, suas vulnerabilidades e recursos para utilização em desastres.

 

O Cenad atua em parceria com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Agência Nacional de Águas (ANA), a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), as Forças Armadas e demais órgãos do Poder Executivo Federal.

 

 

FIQUE LIGADO

►Defesa Civil: alerta de risco de deslizamento para o município. Esteja atento. Caso observe qualquer movimentação de terra, deixe o local e ligue 199 ou 193.
►Risco de enxurrada: evite contato com a água, não dirigir em áreas alagadas/transitar sobre pontes. Ligue 199 ou 193.
► Risco de alagamento: evite contato com a água, não dirigir em áreas alagadas/transitar sobre pontes. Ligue 199 ou 193.
►Risco de inundação: evite contato com a água e siga as orientações da Defesa Civil. Ligue 199 ou 193.
► Risco de vendaval e granizo. Tempestade próxima. Busque abrigo. Fique longe de placas, árvores, etc. Ligue 199 ou 193.

Leia mais:

Corpo de Bombeiros alerta população sobre cuidados nas atividades em rios de forte correnteza em Rondônia

 

 

 

 

Fonte
Texto: Montezuma Cruz 
Fotos: Jeferson Mota e Esio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

 

 


 
Publicidade