Boa Tarde, hoje 22/07/2018 - 13:55:40
 

Dr. Neidson participa de Audiência Pública de Enfrentamento ao Suicídio

13/04/2018   13:30

 

Evento aconteceu na Câmara de Vereadores de Guajará-Mirim e tratou de ações de combate e prevenção a casos de morte auto provocada

 

Na manhã desta quinta-feira (12), o deputado Dr. Neidson (PMN) participou da Primeira Audiência Pública de Enfrentamento ao Suicídio, realizada na Câmara Municipal de Vereadores de Guajará-Mirim.

 

Dr. Neidson conduziu o debate proposto pelo vereador Pastor João Vanderlei (PSDC), que abriu a audiência pública agradecendo a presença do deputado, demais convidados e participantes. O vereador disse que sua iniciativa veio da preocupação com o número crescente de suicídios em Guajará-Mirim e região.

 

"Nossa intenção é descobrir as causas, provocar ações e buscar a construção de políticas públicas para a redução dos índices, ou até mesmo, zerar essas tragédias que ocorrem dentro de tantas famílias", enfatizou o vereador.

 

Dr. Neidson agradeceu o convite para abordar um tema que apresenta números alarmantes em todo o país. O deputado disse que até pouco tempo, acreditava que Guajará-Mirim apresentava o maior número de ocorrências de suicídio no Estado, porém destacou que outros municípios em Rondônia já lideram em casos do tipo.

 

O parlamentar palestrou sobre as situações que devem ser evitadas quando o assunto é o suicídio, atualmente denominada morte auto provocada. De acordo com o deputado, existem publicações e informações que não devem ser divulgadas pelos meios de comunicação para que seja evitado o chamado efeito contagioso.

 

De acordo com o deputado, tomar cuidados na hora de publicar ocorrências de suicídio evita a exposição desnecessária, tanto da pessoa que já tentou cometer a morte auto provocada, como da família de vítimas fatais.

 

"Certos cuidados também podem evitar o estímulo a indivíduos que já apresentem diagnóstico de transtorno mental, uma das principais causas do suicídio", enfatizou o deputado.

 

Dr. Neidson explicou os métodos de prevenção e destacou a identificação precoce como primeiro passo para ajudar uma pessoa que apresente comportamentos que estão relacionados às possíveis causas.

 

Depressão, transtornos psicológicos, problemas financeiros, abuso de álcool e drogas estão entre as razões que podem levar uma pessoa a cometer o ato. Dr. Neidson ressaltou a importância da participação de todos os segmentos da sociedade na identificação de um possível caso, pois, segundo ele, trata-se, acima de tudo, de um problema social e de saúde pública.

 

Além de pontuar os aspectos ligados a abordagem e a identificação do paciente, Dr. Neidson reforçou que o correto encaminhamento de casos de transtornos mentais e de pessoas que já tentaram o suicídio, às unidades básicas de saúde e serviços especializados também são formas de prevenção.

 

"O que não pode é ignorar a situação, deixar de falar sobre o assunto. É preciso ter os devidos cuidados para abordar o assunto e dar a devida importância ao paciente, assim como levar ao conhecimento da sociedade e dos entes públicos para que possamos reduzir os números ou até mesmo, acabar com essa triste realidade", declarou Dr. Neidson.

 

Convidada pelo deputado, Regina Correia, da coordenação de Saúde Mental vinculada a Gerência de Programas Estratégicos da Sesau, abordou o Plano Estadual de Prevenção do Suicídio.

 

Segundo ela, o plano tem o objetivo organizar a rede de atendimento à saúde que garanta uma linha de cuidado integral, com vistas a reduzir o dano do agravo, melhorando o acesso do paciente ao processo de trabalho intersetorial, implantando um fluxo de atenção e cuidado à saúde do paciente em risco de suicídio.

 

A psicóloga Ana Lessa, do Centro de Ação Psicossocial (Caps) Guajará-Mirim disse que se limitaria a falar da questão do número de jovens ligados a casos de suicídios.  De acordo com a profissional, dos atendimentos do Caps, 70% são de jovens de 11 a 18 anos que apresentam quadros de depressão e automutilação.

 

Segundo ela, é preciso reforçar estratégias de prevenção e que isso também se estenda ás famílias e não somente a possível vítima. Ana Lessa também ressaltou a importância do tema ser abordado nas instituições de ensino, uma vez que muitos professores relatam comportamentos de alunos que estão totalmente associados ao tema palestrado.

 

O vice-prefeito de Guajará-Mirim e secretário municipal de Saúde, Davino Serrath (PMN), destacou a importância do evento e enalteceu o interesse da sociedade em compartilhar e debater os problemas do município. Serrath disse que o tema é de grande relevância, uma vez que a região de Guajará-Mirim realmente apresenta vários registros de casos de suicídios, o que segundo ele, merece ser debatido para se chegar às causas e solução do problema.

 

Raimundo Soares, vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde parabenizou a propositura do vereador e a participação do deputado Dr. Neidson na discussão que, para ele, deve priorizar a busca de ações que devolvam às pessoas com tendências ao suicídio, "o prazer e a sede de viver”, frisou ele.

 

De Guajará-Mirim, o vereador Isaac Carreirinha (DEM), parabenizou a iniciativa da audiência e enfatizou que concorda com a necessidade apontada de criação de políticas públicas para estabelecer um plano municipal com foco na causa e nas situações de vulnerabilidade e fragilidade que acometem as vítimas como um todo.

 

Diretamente relacionados às ocorrências de tentativas e casos concretos de suicídios no que tange à prestação de socorro, o sub-comandante do Corpo de Bombeiros de Guajará-Mirim, Salvador Júnior e o tenente da Polícia Militar, Odinelson Braga, destacaram as ações das forças de segurança junto às vítimas, as famílias e à sociedade.

 

De acordo com os militares, é papel de o setor trabalhar com políticas de prevenção e conscientização da sociedade. O tenente Braga informou que em breve, um ciclo de palestras será realizado no município, visando inibir o crescimento de ocorrências.

 

Representando a igreja católica, o padre Osmar Ferreira enfatizou que, independente de religião, é assustador o número crescente de mortes auto provocadas no meio cristão e principalmente, envolvendo a juventude. Ele também sugeriu a criação de um grupo de trabalho para o aprofundamento das questões que levam a tais consequências.

 

Após as explanações dos convidados e depoimentos de alguns participantes da sociedade e da saúde do município, Dr. Neidson sugeriu a criação do Grupo Condutor Intersetorial de Saúde Mental, que será composto por representantes de todos os entes da sociedade e da administração pública. O grupo foi formado de imediato, ao final da audiência.

 

Por fim, Dr. Neidson definiu alguns encaminhamentos para as ações sugeridas durante as palestras e debates como, viabilizar a contratação de um profissional de psicologia pelo Conselho Regional de Educação, para atender a rede estadual, movimentar as igrejas e a sociedade a fim de fazer um levantamento sobre as necessidades do município, para melhorar a qualidade de vida da população e agendar ações estratégicas pautadas, estendendo-as a todos os municípios de Rondônia.

 

"Precisamos trabalhar e promover ações que gerem resultados", concluiu o deputado.

 

Em seguida o vereador Pastor João Vanderlei encerrou a audiência agradecendo a presença e a participação de todos e disse acreditar que a discussão renderá bons resultados, conforme ressaltou Dr. Neidson.

 

 

 

 

 

 

Fonte: DECOM/ALE-RO 


 
Publicidade