Bom Dia, hoje 18/11/2018 - 8:59:20
 

Presidente Médici fatura o I Concurso de Redação da Ameron 2018

08/11/2018   11:35

 

Um município com apenas 24 mil habitantes - de acordo com as estimativas do IBGE feitas em 2016 - Presidente Médici ocupa apenas a 15ª colocação no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado de Rondônia e está localizado a 346 km de Porto Velho – capital do Estado. A base da economia local é a agricultura, mas o município despontou também as duas vencedoras do I Concurso de Redação da Ameron – promovido pela Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia, em comemoração aos 35 anos da instituição.

 

Com o tema “A atuação da Justiça como guardiã dos Direitos e na defesa da cidadania”, a aluna Bianca França de Oliveira, nascida em Ji-Paraná e com apenas 13 anos, se sagrou a vencedora na Categoria I – que mobilizou os alunos do Ensino Fundamental. Bianca está no 8º ano e estuda na Escola Carlos Drummond Andrade, aonde é assistida desde o 6º ano pela professora Francisca Elizabeth dos Santos Alves. Na redação, a aluna escreveu sobre a contribuição da Justiça para a sociedade. “A nossa escola sempre escolhe concurso de redação que aparece e convida os alunos a participar. Nós sempre íamos em horários opostos às nossas aulas para fazer a redação e estudar sobre o conteúdo. A minha professora desenvolveu atividades para que nós conseguíssemos competir. O problema que tenho com as redações é que, normalmente, os meus textos ficam muito grande e eu preciso retirar algumas partes. Isso foi difícil porque fiquei com dúvidas sobre o que retirar, mas no final deu tudo certo”, conta a estudante que obteve a nota 85,0.

 

A professora orientadora da Bianca, Francisca Elizabeth, revela os segredos para redigir uma redação campeã. “É o conceito de produção textual que, uma vez compreendido, os alunos seguem sozinhos. Explico para eles que a produção de texto é um trabalho, se você não aceitar esse desafio, então nunca poderá ser um bom produtor de texto. A Bianca abraçou essa ideia e agora não preciso mais me esforçar tanto porque ela já absorveu esse conceito Ela desenvolve, não tem preguiça, faz e refaz o texto e não se ofende quando corrigimos. Faço isso com ela e com todos os meus alunos”, desvenda a professora.

 

Não muito distante, na mesma cidade está localizada a Escola Paulo Freire. É de lá que saiu a campeã da Categoria II – que mobilizou os alunos do Ensino Médio. É nessa escola que estuda a aluna Larissa Lopes dos Santos Reis, nativa de Presidente Médici. A estudante de 17 anos está em fase de preparação para ingressar na Universidade e o Concurso de Redação da Ameron surgiu como uma oportunidade nessa etapa de treinamentos. Larissa obteve a maior nota também entre todos os candidatos inscritos no certame, arrancando a nota 92,3 da comissão julgadora – composta por uma magistrada, um jornalista e uma professora de língua portuguesa e redação.

 

Larissa reveza o tempo entre a escola e o estudo em casa, tanto tempo de dedicação foi recompensado com o notebook – prêmio oferecido ao ganhador de cada categoria. “Eu estudava de manhã no período normal, meu professor me fazia ir à tarde e à noite na escola para ficar reescrevendo por durante uma semana. Foi muito corrido e puxado porque cada erro tinha que reescrever de novo, não podia haver uma vírgula fora do lugar. Se não fosse o meu professor, eu não estaria aqui para conseguir isso”, divide humildemente os méritos.

 

O responsável pelo sucesso da Larissa é o professor João Bosco de Souza. O docente trabalhou as noções e os princípios basilares a respeito dos Poderes e da Constituição Federal com os alunos em sala de aula. Ele também pesquisou sobre o assunto e compartilhou com outros colegas para aplicar as atividades aos estudantes na escola. “O texto da Larissa sem sombra de dúvidas está muito bem embasado e fundamentado. O dever do professor é proporcionar textos mobilizadores para que os alunos se apropriem do conhecimento. A Larissa às vezes ficava chateada comigo, como os outros também ficaram porque eu pedia para refazer o texto. Solicitava para ela ler antes, então ela lia e falava para mudar algumas expressões, colocar uma vírgula ou um ponto. Eu acabava intervindo quando o período ou o parágrafo estava sem sentido, pois só acredito no texto quando há leitura”, esclarece o professor.

 

A primeira edição do Concurso de Redação da Ameron contou com a participação de 134 candidatos, 21 escolas envolvendo 11 municípios de Rondônia. O concurso teve o apoio cultural da Fiero, Sicoob Portocredi, Eucatur, Secretaria Estadual de Educação de Rondônia, Secretaria Municipal de Educação de Porto Velho.

 

 

 

Fonte: Imprensa/Ameron 

 


 
Publicidade